whatsapp (1).png
43178.jpg

A ABORDAGEM

A Terapia Cognitiva nasceu nos Estados Unidos, na década de 60, através dos estudos do psiquiatra Aaron T. Beck . É definida como uma abordagem estruturada, diretiva, que enfatiza a colaboração ativa entre psicoterapeuta e cliente, de prazo limitado e caráter didático. Propõe uma aliança terapêutica, baseada em respeito genuíno, cordialidade, empatia, atenção e competência. Pode ser utilizada com crianças, adolescentes e adultos, para tratar uma variedade de transtornos psiquiátricos, como por exemplo, depressão, ansiedade, transtornos de personalidade, transtornos alimentares, dependência química, entre outros.


O modelo cognitivo propõe que o modo como a pessoa interpreta um evento irá determinar as suas emoções e os seus comportamentos, sendo que a sua interpretação é influenciada por suas percepções do evento, ou seja, pela atribuições que faz ao evento. Ao longo de suas vidas as pessoas podem passar por situações que as levam a desenvolver pensamentos, crenças e esquemas disfuncionais, que irão influenciar a forma como interpretam a atual situação.


O objetivo central de intervenção é o pensamento automático negativo (PAN), que são pensamentos avaliativos rápidos, breves e disfuncionais. Através do desafio de PAN`S promove-se a flexibilidade cognitiva que irá promover interpretações alternativas para explicar eventos, tendo como objetivo desenvolver habilidades para resolução de problemas e a reestruturação cognitiva.
Durante o tratamento a pessoa irá aprender a identificar e desafiar os seus PAN`S e crenças disfuncionais aprendendo a modifica-los afim de responder de uma forma mais funcional as situações. A ideia é que a pessoa aprenda com a psicoterapia e utilize o aprendizado ao longo de sua vida.

©

Paula Roberta Tortorella Reani - CRP: 06/66463 - 2020 - Todos os direitos Reservados

R. Barão de Teffé, 160 - Vila Virginia, Jundiaí - SP, 13208-760

(11) 99950-1540

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle